O que é Metástase?

Tumor metastático é aquele que se espalhou a partir do lugar onde se iniciou para outro local do corpo. Um tumor formado por células cancerígenas metastáticas é denominado tumor metastático ou metástase. O processo pelo qual as células cancerígenas se espalham para outras partes do corpo é também chamado de metástase.

O tumor metastático tem o mesmo nome e o mesmo tipo de células cancerígenas do tumor primário onde se originou. Por exemplo, o câncer de mama que se dissemina para o pulmão formando um tumor metastático é o câncer de mama metastático e não um câncer de pulmão.

Sob um microscópio, as células cancerígenas metastáticas geralmente têm a mesma aparência das células do câncer de origem. Além disso, as células metastáticas e as células do tumor primário geralmente têm algumas características moleculares em comum, como a expressão de determinadas proteínas ou a presença de alterações cromossómicas específicas.

Embora alguns tipos de câncer metastático possam ser curados com os tratamentos atuais, a maioria não tem cura. No entanto, os tratamentos estão disponíveis para todos os pacientes com câncer metastático. Em geral, o principal objetivo destes tratamentos é controlar o desenvolvimento da doença ou aliviar os sintomas causados pela metástase. Em alguns casos, os tratamentos do câncer metastático podem ajudar a prolongar a sobrevida. No entanto, a maioria das pessoas que morrem de câncer é devido à doença metastática.

Qualquer tipo de câncer pode se tornar um tumor metastático?

Praticamente todos os tipos de câncer, incluindo os cânceres do sangue e do sistema linfático (leucemia, mieloma múltiplo e linfoma), podem formar tumores metastáticos. Embora raro, a metástase dos cânceres do sangue e do sistema linfático para o pulmão, coração, sistema nervoso central e outros tecidos tem sido relatadas.

Quais os locais para onde o câncer pode se disseminar?

Os locais mais comuns de metástases são: osso, fígado e pulmão. Embora a maioria dos cânceres tenha a capacidade de se espalhar para diferentes partes do corpo, eles tendem a de disseminar com mais frequência para um local mais do que para outros. A tabela a seguir mostra os locais mais comuns de metástase, excluindo os gânglios linfáticos, para vários tipos de câncer:

Tipo de câncer Principais Locais de Metástases*
Bexiga Fígado, Osso, Pulmão
Mama Cérebro, Fígado, Osso, Pulmão
Colorretal Fígado, Peritônio, Pulmão
Rim Cérebro, Fígado, Glândula Adrenal, Osso, Pulmão
Pulmão Cérebro, Fígado, Glândula Adrenal, Osso, Pulmão
Melanoma Cérebro, Fígado, Osso, Pele/Músculo, Pulmão
Ovário Fígado, Peritônio, Pulmão
Pâncreas Fígado, Peritônio, Pulmão
Próstata Fígado, Glândula Adrenal, Osso, Pulmão
Estômago Fígado, Peritônio, Pulmão
Tireoide Fígado, Osso, Pulmão
Útero Fígado, Osso, Peritônio, Pulmão, Vagina

* Em ordem alfabética
Como o câncer se espalha?

A metástase de células cancerígenas envolve geralmente os seguintes passos:

  • Metástase local – As células cancerígenas invadem o tecido normal adjacente.
  • Intravasamento – As células cancerígenas invadem e passam através das paredes dos vasos sanguíneos ou vasos linfáticos próximos.
  • Circulação – As células cancerígenas se movem através do sistema linfático e circulação sanguínea para outras partes do corpo.
  • Extravasamento – As células cancerígenas param de se mover em pequenos vasos sanguíneos denominados capilares. Elas invadem as paredes dos capilares e migram para o tecido adjacente.
  • Proliferação – As células cancerígenas se multiplicam num local distante para formar pequenos tumores conhecidos como micrometástases.
  • Angiogênese – Micrometástases estimulam o crescimento de novos vasos sanguíneos para obter fornecimento de sangue. O suprimento de sangue é necessário para obter oxigênio e nutrientes necessários para o crescimento continuado do tumor.

Como os cânceres do sistema linfático ou do sangue já estão presentes no interior dos vasos linfáticos, linfonodos ou vasos sanguíneos, nem todos estes passos são necessários para a metástase. Além disso, o sistema linfático drena para o sistema arterial em dois locais dentro do pescoço.

A capacidade de uma célula cancerígena metastizar depende de suas propriedades individuais, as propriedades das células não cancerosas, incluindo as células do sistema imunológico, presentes no local de origem e as propriedades das células encontradas no sistema linfático ou na corrente sanguínea no local da metástase. Nem todas as células cancerígenas, por si só têm a capacidade de metastizar. Além disso, as células não cancerígenas do local de origem podem ser capazes de bloquear a metástase das células cancerígenas. Além disso, o fato das células cancerígenas alcançarem outro local do corpo não garante que um tumor metastático irá se formar. As células cancerígenas metastáticas podem permanecer dormentes em um local distante por muitos anos antes de começarem a crescerem novamente.

O câncer metastático tem sintomas?

Algumas pessoas com tumores metastáticos não tem sintomas. As metástases são encontradas por exames de Raios X ou outros exames de imagem.

Quando os sintomas do câncer metastático ocorrem, o tipo e a frequência desses sintomas dependerão do tamanho e da localização da metástase. Por exemplo, o tumor que se espalha para o osso é susceptível de causar dor e pode levar a fraturas ósseas. O que se dissemina para o cérebro pode causar uma variedade de sintomas, incluindo dores de cabeça ou convulsões. Falta de ar pode ser um sinal de metástase pulmonar. Inchaço abdominal ou icterícia pode indicar que a doença se espalhou para o fígado.

Às vezes, a doença original só é diagnosticada quando o tumor metastático causa sintomas. Por exemplo, um homem com câncer de próstata disseminado para os ossos pélvicos pode apresentar dores lombares causadas pela doença nos ossos, antes de ter outros sintomas do tumor na próstata.

É possível ter um tumor metastático, sem ter um câncer primário?

Não. Um tumor metastático sempre é causado por células cancerígenas de outra parte do corpo.

Na maioria dos casos, quando um tumor metastático é diagnosticado, o tumor primário também pode ser encontrado. A pesquisa para o diagnóstico do tumor primário pode envolver exames de laboratório, raios X, tomografia computadorizada, ressonância magnética, tomografia por emissão de pósitrons e outros procedimentos.

No entanto, em alguns pacientes, o tumor metastático é diagnosticado sem ser localizado o tumor primário, apesar de serem realizados vários exames, porque é muito pequeno ou regrediu completamente. Os patologistas sabem que o tumor diagnosticado é uma metástase porque as células não se parecem com as do órgão ou tecido onde o tumor foi encontrado. Nestes casos, o tumor é denominado primário desconhecido.

Atualmente, com o aprimoramento das técnicas de diagnóstico, o número de casos de primário desconhecido está diminuindo.

Se uma pessoa tratada previamente para um determinado tipo de câncer for diagnostica com câncer uma segunda vez, esse novo câncer é um novo câncer primário ou metastático?

O câncer pode ser um novo tumor primário, mas, na maioria dos casos, é uma metástase.

Quais são os tratamentos utilizados para o câncer metastático?

O tumor metastático pode ser tratado com terapia sistêmica (quimioterapia, terapia biológica, terapia alvo, hormonioterapia), terapia local (cirurgia, radioterapia) ou uma combinação destes tratamentos. A escolha do tratamento depende geralmente do tipo de tumor primário, tamanho, localização, número de tumores metastáticos, idade do paciente, estado de saúde geral e dos tipos de tratamentos já realizados. Nos pacientes com primário desconhecido é possível tratar a doença mesmo que o primário não seja localizado.

Existem novos tratamentos para o câncer metastático em desenvolvimento?

Sim, os pesquisadores estão estudando novas maneiras para destruir ou bloquear o crescimento das células do tumor primário e das células metastáticas, incluindo novas formas de aumentar a resposta do sistema imunológico contra tumores. Além disso, os pesquisadores estão tentando encontrar novas formas de interromper os passos individuais do processo metastático.

Antes de qualquer novo tratamento ser amplamente disponibilizado aos pacientes, deve ser estudado em protocolos clínicos para garantir sua eficácia e segurança no tratamento da doença. Os protocolos clínicos são um passo fundamental para melhorar o tratamento do câncer. Os resultados prévios dos protocolos clínicos levaram ao avanço não só dos tratamentos do câncer, mas também para a detecção, diagnóstico e prevenção da doença. Os pacientes interessados em participar de um protocolo clínico devem conversar com seu médico.


Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.