A inteligência Emocional e o Ovo frito – por Renata Sottero

O cérebro emocional responde a um evento mais rapidamente do que o cérebro pensante

Daniel Goleman

 

O termo inteligência emocional se popularizou na década de 90 após o lançamento do livro, de mesmo nome, do psicólogo Daniel Goleman.

A inteligência emocional pode ser definida como a habilidade de lidar com as suas próprias emoções (relacionamento intrapessoal) e com as emoções dos outros (relacionamento interpessoal). Isto é, fazer intencionalmente com que suas emoções trabalhem a seu favor melhorando seu comportamento, raciocínio e consequentemente seus resultados.

A inteligência emocional pode e deve ser desenvolvida e ampliada. Para isso é necessário desenvolver principalmente a autoconsciência, o controle emocional e a motivação.

 

Cada vez mais, habilidades e competências comportamentais são diferenciais na tomada de decisão. Pessoas que possuem alto nível dessas competências se destacam daquelas que são apenas fortes em competências técnicas.

 

Isso acontece porque as competências técnicas são mais fáceis de serem desenvolvidas, enquanto que as comportamentais, exigem muito mais esforço e geralmente demandam mais tempo. Lidar com crenças, hábitos e comportamentos, são muito mais complexos do que adquirir conhecimento técnico.

 

Todo aprendizado tem uma base emocional”  Platão

 

Vamos explorar as três principais habilidades da inteligência emocional

A Autoconsciência

Quanto maior o grau da sua autoconsciência, maior a sua capacidade de monitorar-se, ou seja, observar suas ações e influenciá-las em seu próprio benefício. Este é o alicerce da sua inteligência emocional, pois considera seus pensamentos e sentimentos, suas interpretações, emoções, sensações e intenções.

Quando você tem consciência do que te deixa com raiva, por exemplo, pode encontrar maneiras de lidar com ela para reduzi-la.

 

O Controle Emocional

É a habilidade de adequar suas emoções a cada situação vivida, mas sem reprimi-las. É a razão permitindo que você decida como agir. As emoções são produto dos pensamentos, alterações fisiológicas e atitudes como reação a um acontecimento externo. Agindo sobre qualquer um desses elementos, é possível lidar melhor com suas emoções.

 

 

A Automotivação

Movimento + Ação. A motivação pode ser interna ou externa. Seus próprios pensamentos, suas crenças podem te manter motivado, mas fatores externos como ambiente, meio em que você interage e pessoas, também podem. Tudo dependerá do significado que você atribuir a eles. Fortalecendo sua confiança, flexibilidade, otimismo e entusiasmo, torna-se mais fácil motivar-se e manter-se motivado mesmo diante de situações indesejáveis.

 

Mas o que o ovo frito tem a ver com tudo isso?

 

Para ajudar no desenvolvimento da sua inteligência emocional, apresento abaixo uma técnica muito interessante que eu utilizo bastante no dia a dia e também com meus clientes. É uma técnica adaptada por Eliana Dutra e se chama:  Ovo Frito no Prato.

Para entender melhor, visualize um ovo frito num prato. Dessa forma teremos a gema do ovo, a clara do ovo e o prato.

Primeiro Passo A gema do ovo

A gema do ovo representa tudo aquilo que você controla.

Aqui entra a autoconsciência. Por que estou fazendo isso? Qual a importância disso? E qual o impacto dessa atitude na minha vida pessoal, profissional, relacionamentos, qualidade de vida?

Tendo consciência dessas respostas, reflita sobre o que você pode controlar em relação ao seu estado físico, emocional, relacionamentos. Lembre-se que deve depender única e exclusivamente de você.

 

Segundo Passo A clara do ovo

A clara do ovo representa tudo aquilo que você pode influenciar.

Identificado o motivador principal desse comportamento e medidas as consequências dele, é preciso identificar o que pode ser feito para amenizar os impactos desse momento. Após uma avaliação do estado físico e emocional, procure identificar formas de transformar esse desafio em algo positivo. Por exemplo: emocionalmente, ressignificar um acontecimento desagradável, pode influenciar a forma como os hormônios circulam pelo seu corpo e favorecer um estado mental mais positivo. Levante opções e liste tudo aquilo que você influenciar.

 

Terceiro Passo   O prato

O prato representa tudo aquilo que você nem controla e nem influencia.

Considero esse passo o mais importante e impactante, pois quando você traz a consciência para aquilo que não depende nada de você, que você não pode exercer nenhum poder sobre aquilo, você libera energia para direcionar para o primeiro e segundo passos.  Sabendo que o você não pode fazer nada em relação a previsão do tempo, por exemplo, ao invés de reclamar e drenar sua energia, pense em como transformar esse fato em algo que gere um resultado positivo, pode ser físico, emocional, etc.. Você é que vai saber o que funciona melhor para você.

 

Créditos das Imagens: Pixabay.com 

 

Renata Nanô Sottero inspira pessoas e empresas a realizarem seus objetivos mais elevados. É Coach com certificação internacional pela Sociedade Brasileira de Coaching e pelo CAC (Center of Advanced Coaching), palestrante, conectora de workshops e treinamentos e estudiosa na área de desenvolvimento humano. Bacharel em administração de empresas com espacialização em Comércio Exterior. Possui mais de 15 anos de experiência corporativa com vivências internacionais em diversos ramos incluindo varejo e mercado de luxo. www.renatasottero.com.br

 

Comentários